Slide

Porque relacionamentos não precisam de joguinhos

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

 relacionamentos-e-joguinhos

 Foto: @brandonwoelfel

Você já parou pra pensar em quantas vezes fez joguinhos com alguém? Em quantas vezes visualizou uma mensagem e não respondeu só para parecer desinteressado, ou esperou alguns minutos pra dar uma de ocupado? Já pensou em quando disse que ia ligar, e esperou no mínimo 3 dias para não parecer desesperado? 

Mas ela vai pensar que eu tô desesperado.
Ele vai pensar que tô sendo fácil.
Ele vai pensar que eu não tenho ninguém.
Ela vai pensar que eu tô sempre disponível.

E daí? E daí se você quer alguém, se você faz o que dá na telha, se você está sozinha, se você tem tempo livre? Eu juro que não entendo esse raciocínio de que, pra conquistar alguém, você precisa estar sempre ocupado, não pode ser muito fácil pra não perder a graça e ainda está autorizado a fazer ciúmes pra ela te querer mais ainda. Isso parece justo?

Eu nunca consegui ser assim. Eu sou de riso solto, de conversa fácil. Sou daquelas que fica ansiosa esperando pela resposta e está tão empolgada que não consegue aguardar um mísero minuto pra responder. Eu só vou lá e respondo. Aliás, pra que esperar? Nosso tempo aqui é curto, nossas oportunidades não surgem a todo instante. Não é todo dia que você vai encontrar alguém que goste das mesmas séries, que vai amar aquela música estranha que só você conhece e que vai te mandar bom dia às 7 da manhã. Não mesmo.

Eu confesso que já me martirizei por ter respondido tão rápido enquanto ele não fez o mínimo esforço pra manter uma conversa constante. Mas aí eu pensei: e daí? O que eu ganho com isso? No máximo, ele vai ficar pensando um pouquinho mais no porquê de eu não responder logo. Mas é só isso? Sim. Isso não vai fazer com que um cara que não te curte, se apaixonar. Não vai fazer uma mulher cair aos teus pés. Não vai transformar um encontro de uma noite em uma companhia pra todos os dias.

Se alguém te quer de verdade, ele não vai precisar de umas ignoradas no Whatsapp, de cancelamentos de última hora ou daquele papo de vou-fingir-que-não-me-importo. Ele vai precisar de alguém que responda na hora que bem entender, sem pensar nas consequências. Alguém que faça de tudo para ir vê-lo no cinema. Alguém que não precisa fingir que não se importa, mas sim alguém que não tem problema algum em deixar na cara que se importa sim, e muito.

Não tenha medo de parecer desesperado, apaixonado, bobo, ou qualquer outra coisa desse tipo. Paixões são assim. E não é todo dia que vai aparecer alguém que faça você se sentir assim. A vida passa como brisa em dia de verão, bonita, mas breve. Não deixe de sentir e de expressar o que quiser apenas por medo do que o outro vai pensar. Se ele te julgar, se ele rir, você sabe: ele não era pra você. Porque relacionamentos não precisam de joguinhos. Eles precisam apenas duas pessoas que saibam que não há hora para sentir e para se permitir.

Leia também

8 comentários

  1. Adorei o texto! Nunca entendi muito bem essa lógica do desinteresse. Se tem interesse, demonstra logo e pronto, se não der não deu (e não vai ser demonstrar interesse ou não que vai mudar isso).

    "Não deixe de sentir e de expressar o que quiser apenas por medo do que o outro vai pensar." Essa parte vale não só pra relacionamentos, mas pra tudo. A gente só tem essa vida, e o mínimo que a gente pode fazer é vivê-la de forma sincera.

    Bjs!
    31 de Março

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuito obrigada Mari! Eu também não entendo isso, qual é o motivo de guardar as coisas pra si, quando o mais sensato a fazer é demonstrar?

      Siim, super concordo com isso! Vale pra tudo mesmo.

      Beijos =)

      Excluir
  2. Oi, Mari!

    Confesso que também não tenho paciência para joguinhos. O que percebo hoje em dia é que algumas pessoas entram nessa e acabam se tornando superficiais. Por exemplo, quando você está ficando com alguém e a pessoa começa a sumir aos poucos ao perceber que aquilo pode ficar mais sério. E simplesmente somem, sem manter laços, sem manter a conversa amigável... É complicado, viu? Mas é óbvio que isso não faz com que eu mude meu jeito de ser.
    Joguinhos não estão com nada mesmo!

    Um beijo.
    www.janeladesorrisos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Thaís!

      Sim... é bem isso o que acontece hoje! Muitas pessoas fogem de um relacionamento, mas não pensam que talvez o outro possa estar envolvido de verdade. Falta de empatia, né?

      Beijos.

      Excluir
  3. Concordo com tudo, Mari! Nosso tempo é tão curto pra ficar se passando, fazendo charme e causando ciúmes. Imagina só se o tempo que perdem fazendo isso fosse revertido em risos e beijos? Todos seriam mais amorosos e felizes, tenho plena certeza. Essa moda de fingir que não liga não cola comigo não, preciso estampar na teste o quanto me importo ao jogar no lixo uma coisa que poderia ser tão boa só pra sair por cima. Um super texto! Beijão

    Quero ser Miranda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, verdade <3 Seria tão bom! Super concordo contigo, as pessoas têm medo de parecerem frágeis ao mostrar que se importam. Eu demonstro mesmo, se quiser ir embora, sei que não era pra mim! Muito obrigada =) Beijos.

      Excluir
  4. odeio esse tipo de coisa também , o povo complica as coisas demais, é tão simples poxa se os dois estão afim e os dois estão solteiros por que não? porque ficar fazendo gracinha ou charminho ? não precisa fazer a outra pessoa de boba achando que ignorando-a ou até mesmo se fazendo de difícil ira ajudar em algo, se você quer vai la e fala que quer poxa simples assim
    ... adorei o texto arrasou !
    www.rennataferreira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Rê! As pessoas confundem isso, acham que "fazer charme" vai atrair a outra pessoa pra perto, mas na verdade não. É complicado lidar, né? Que bom que gostou, obrigadaa <3

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se