Slide

Você virou saudade

domingo, janeiro 10, 2016


Na noite anterior, eu sabia que a minha vida nunca mais seria a mesma a partir da manhã seguinte. Já não era, na verdade. Ver as rosas cor de chá que você havia me entregado com o sorriso mais lindo do mundo algumas horas atrás já não me alegrava. Olhar para o espelho me lembrava que você não apareceria por trás de mim enquanto eu estava me olhando. Olhar para o espelho me lembrava que o meu reflexo não mostrava mais quem eu era. Ah, menino, por que foi fazer isso comigo?

Adormeci, não sei como, envolta no teu abraço. Eu queria muito que ele tivesse a capacidade de te fazer ficar para sempre aqui. Te ver fazendo as malas foi a pior parte. Foi como se você tivesse empacotado cada pedacinho do meu coração e levado junto com todas aquelas roupas, calçados e lembranças. Agora parte de mim está extraviada em algum lugar por aí, e o resto ficou aqui. Um resto que implora por um pouco mais de ti.

Confesso que aeroportos sempre me causaram um certo frio na barriga. É um lugar de despedidas, encontros, abraços aconchegantes e beijos apaixonados. Naquela manhã ele se tornou o melhor e o pior lugar do mundo. O melhor porque ali eu ainda tinha uma oportunidade de te abraçar e torcer para que repentinamente mudasse de ideia e resolvesse ficar. O pior porque era o último lugar que eu te veria até sei lá quando. O pior porque você estava de malas prontas, passagem de ida comprada e o adeus prestes a ser dito. E sem passagem de volta.

Te abracei como quem segura o mundo. Chorei como quem perde um ente querido. Torci para que todos os teus sonhos dessem certo. Sorri como se fosse ver o teu sorriso pela última vez. E guardei, comigo, os pensamentos de quem fica longe de quem ama e com todas as dúvidas que vêm junto. E se terminar? E se ele se apaixonar? E se ele não quiser voltar? Eu sempre procurei não pensar muito no futuro, mas nesse momento eu percebi que gostaria de vivê-lo com você.

Quando somos pequenos, nos ensinam o alfabeto, nos ensinam o que podemos ou não fazer. A gente aprende a caminhar com as próprias pernas. Mas o que nunca nos ensinaram, e que tampouco vamos aprender, é como lidar com o amor. E sabe de uma coisa? Eu não tô conseguindo lidar com ele. E eu ainda não sei quantos dias faltam para você me ensinar a fazer isso.

Percebi que você iria conhecer novos lugares, e se apaixonaria por eles. Outra casa passaria a ser o seu lar. Outras pessoas seriam os seus amigos. Outro alguém sentaria ao teu lado no metrô e dividiria com você a barra de chocolate. Outras pessoas te levariam pra sair, e talvez você arrumasse outro ouvido para os dias que não seriam tão bons assim. Outra música embalaria as tuas noites. Talvez outra moça balançasse o teu coração.

Percebi também que eu ia ter que lidar com o fato de que permaneceria ali, no mesmo lugar e na mesma cidadezinha de sempre. Meu lar continuaria sendo o meu lar, e os meus amigos ainda estariam ali. Eu olharia para o lado no banco do metrô e ele estaria vazio, e eu já não iria gostar mais tanto de sair. A nossa música ainda embalaria as minhas noites. Você ainda balançaria o meu coração.

Depois de tantos "e ses" e devaneios, voltei os meus olhos cheios de água para os teus, um tanto tristes. Te abracei pelo máximo de tempo que consegui. Era isso, finalmente. Então era assim que era ter o amor e vê-lo longe. Resolvi que ia te guardar no meu peito, e deixá-lo bem trancado para que ninguém pudesse entrar. Você morava ali, e eu abriria a porta quando você voltasse. Eu iria lembrar dos teus beijos, dos teus abraços e do teu sossego. Você viraria uma saudade, mas um dia deixaria de sê-la.

Leia também

16 comentários

  1. Mariana do céu, vamos parar de me fazer chorar com seus textos? Hahaha. Sério. Impressionante como eu sinto cada palavra que você escreve nos textos de amor. Eu tenho tanto medo dessa saudade. Seja por causa de uma mudança de cidade, ou por causa de um término. Todas esssas inseguranças, todos esses "e se" me dão uma agonia.
    Enfim, texto maravilhoso! Arrasou como sempre, Mari!
    Beijos

    Sublimarei.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha ai Ju, imagina! Apesar de não querer fazer ninguém chorar, acho que isso é um bom sinal, né? Significa que o texto te tocou, e esse é o intuito mesmo ♥ Eu também tenho bastante medo disso, é muito difícil pensar em ver longe alguém que a gente gosta e não saber o que vai acontecer depois. É melhor nem pensar muito, senão acabamos nos entristecendo. Temos que aproveitar enquanto o tempo permite.
      Muito obrigada, fico bem feliz que tenha gostado e com o teu comentário :)
      Beijos.

      Excluir
  2. oi, oi.

    que texto mais amor! acho que basicamente tu me descreveu nesse texto. sério. a minha grande paixão mudou daqui da minha cidade há 2 anos e voltou aqui pra buscar uma papelada. quando chegou, perguntou se eu tava a fim de sair. disse que não. e perdi a oportunidade de vê-lo, já que a pessoinha só veio na cidade se despender pq tava indo embora pra austrália.

    então, mais do que qualquer outra pessoa, sei o quanto dói essas partidas, que na verdade sempre são inesperadas, né?!

    adorei muito teu texto. tive que ler com uma música agitada, senão choraria. hahaha. li ao som de "Memory", do Asher Monroe.

    bjs, querida e sucesso com o teu blog! <3

    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada Adriel. Ah, jura? Um leitor que já viveu na pele então, e acredito que seja uma das coisas mais difíceis para alguém suportar. Apesar de doer bastante acredito que tudo tem um propósito, talvez não era pra acontecer mesmo. É claro que não dá pra aceitar muito bem isso, mas prefiro pensar assim, sabe? E é uma coisa pra qual nós nunca estaremos prontos. Despedidas doem pra caramba, e ter que se conformar é o pior.
      Não conhecia a música que tu mencionou, fui ouvir agora e achei muito boa. Já vai entrar pra minha playlist, hahaha <3
      Fico feliz que tenha gostado do texto e se identificado, muito obrigada mesmo ♥

      Excluir
  3. Ha que aperto de ler esse texto Mari.
    A pior parte é deixar o outro descobrir o próprio mundo e ficar esperando que ele descubra que o lar está em nós.
    Amei demais.
    Tá expelindo inspiração pela pele hen.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Cami, me dói só de pensar nisso, deve ser uma coisa muito difícil pra suportar. Pensar em ver quem a gente ama em outros lugares e longe de nós não é nada agradável.
      Muito obrigada, realmente a inspiração tem voltado, estou muito feliz com isso ♥ :)
      Beijos.

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?
    Que texto lindo, você escreve de uma forma tão bela e delicada, consegui senti o tanto de sutileza que você emprega nas palavras, isso é um dom menina, não é para qualquer pessoa não, de verdade, parabéns, e por favor, continue escrevendo, é um favor que você faz as pessoas que podem lê-la!
    Estou seguindo e amando o blog <3
    Beijos.
    Tenho um blog que fala sobre filmes, series e livros. Se puder dar uma conferida ficarei muito grata: http://cineleva.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Willma! Tudo bem, e contigo?
      Own, que amor de comentário ♥ Muito obrigada, moça! Fico lisonjeada lendo algo assim, e espero que eu possa continuar tendo inspiração pra escrever. Colocar um texto aqui e ver comentários como o teu é o que me motiva mais ainda.
      Seja bem-vinda, e vou fazer uma visitinha no teu blog sim =)
      Beijos.

      Excluir
  5. Sabe quando os olhos enchem de lágrimas? Então :(
    "Então era assim que era ter o amor e vê-lo longe. Resolvi que ia te guardar no meu peito, e deixá-lo bem trancado para que ninguém pudesse entrar. Você morava ali, e eu abriria a porta quando você voltasse." Uma das coisas mais bonitas é poder sentir isso, poder saber que você fez tudo e serviu de lar por um tempo. A parte difícil é ter de dizer adeus, mas quem sabe um dia se torna um até logo, não é? Texto lindo, como sempre ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn Kelly, muito obrigada pelo carinho <3 É sim, reservar um lugarzinho no coração pra alguém é uma coisa muito especial e bonita. Nem sempre a pessoa fica abrigada com a gente, mas temos que fazer da estadia a melhor possível. E que todos os adeus doloridos se tornem um até logo, se isto for a melhor coisa a acontecer ♥ Beijos.

      Excluir
  6. Olá Mari,tudo bem?
    Seus textos de amor se tornaram um dos meus preferido,cada palavra dá pra sentir de uma forma incrível de um jeitinho só seu.
    Sempre lindos os textos na minha opnião,Amei ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sara! Tudo bem, e contigo?
      Que linda, muito obrigadaa ♥ Fico feliz de verdade que eu consiga te fazer sentir cada palavra e que goste das escritas. É sempre bom te ver por aqui =)

      Excluir
  7. Como sempre incrível as coisas que você descreve, parece até que me conhece hahaha
    Realmente lindo e sei bem como é isso, estou passando pela mesma situação agora :(
    Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, que amor! Muuito obrigada, fico feliz em saber que se identifica com os textos <3 Ah, que pena ): Espero que dê tudo certo pra ti, viu?
      Beijos.

      Excluir
  8. "Eu sempre procurei não pensar muito no futuro, mas nesse momento eu percebi que gostaria de vivê-lo com você."
    Esse texto me despedaçou um tantinho essa noite, moça. Tu sabe te acho o máximo com as palavras, mas eu gosto de repetir toda vez que venho aqui. Coisa mais linda de se ler, triste, mas a tristeza, a saudade e o amor sempre são poesia, não sai de moda, e poesia é sempre linda.
    Gostei demais.
    Mil beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, tu é puro amor ♥♥ Muito obrigada, fico lisonjeada com esses teus comentários lindos!
      Realmente, os sentimentos mais doloridos são os mais belos a serem transcritos, talvez por serem os mais fortes e atingirem todo mundo. E é tudo poesia, mesmo :)
      Beijos Beca!!

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se