Slide

Um texto sobre mudanças, fins e começos

segunda-feira, novembro 16, 2015


Que cada fim leva a um começo, não podemos discutir. Terminar algo nem sempre cabe a nós, porém nos leva a um único caminho: um início. Quando a bateria da câmera termina, é hora de carregar para que ela possa estar cheia novamente. Quando um ano acaba, é hora de outro iniciar. Quando você termina um relacionamento, inicia uma fase sem aquele relacionamento presente. Há uma linha tênue entre um fim e um começo. Essa linha é a mudança.

Passamos por mudanças durante a nossa vida inteira sem ao menos perceber. Sabe quando você olha pra trás e percebe o quanto as coisas eram diferentes? E sabe quando você olha pro futuro e percebe o quanto as coisas serão diferentes a partir de hoje? Bom, eu estou nesse momento.

Diversas coisas estão acontecendo nesse momento na minha vida, e eu sinto que estou naquela fase em que preciso virar adulta. As coisas já não vão mais resolver sozinhas, e eu não posso mais me lamentar. É preciso aprender a lidar, mesmo sem saber direito como. Amanhã eu apresento o meu trabalho de conclusão de curso, e isso soa inacreditável para mim. Há poucos anos eu era apenas uma menininha cheia de medos e inseguranças, se mudando de um estado para outro e precisando se adaptar. Como alguém já disse uma vez, estamos todos nos adaptando.

Porque a vida é feita de adaptações. De términos, despedidas e de saudades. De mudanças, metamorfoses. Um ajuste aqui e outro lá, e assim a gente vai levando as coisas do nosso jeitinho. De repente, algo completamente novo vai aparecer. E começa tudo de novo, e de novo. E assim continuamos, nesse ciclo eterno de idas e vindas. De aprendizados, de memórias.

O fato é que quando aparece algo desconhecido a nós, todos somos inexperientes. Somos como pequenas crianças aprendendo a caminhar. Começamos lentos, rastejantes e um pouco inseguros. Mas sabemos que precisamos tentar - ninguém caminhará por nós. Quando finalmente nos colocamos de pé, podemos seguir em frente. E podemos, enfim, arriscar qual caminho queremos percorrer. 

O que eu quero dizer, é que eu tenho me sentido diferente. Talvez seja o tempo que não me sobra mais, a saudade que eu já não sinto, o sentimento que eu já não preciso mais guardar. Talvez tenha sido aquela chuva que não parava de cair, ou o sol que agora insiste em me fazer companhia. Talvez seja porque eu esteja quase saindo da escola ou as músicas que eu tenho ouvido ultimamente. Talvez seja ele. Ou talvez, seja simplesmente, eu mesma.

A gente cresce mesmo tendo o desejo árduo de continuar a ser uma criança de pés descalços e coração intacto. A gente muda mesmo teimando em continuar parado no mesmo lugar. A gente muda também por temer ser a mesma pessoa pelo resto de nossos dias. A vida nos molda e a gente molda a nossa vida, e será sempre assim. Mesmo que não consigamos fazer o molde perfeito, mesmo que ele saia meio torto ou com a textura diferente do esperado. A gente se molda. A gente se muda. A gente muda.

Leia também

16 comentários

  1. "Mesmo que não consigamos fazer o molde perfeito, mesmo que ele saia meio torto ou com a textura diferente do esperado. A gente se molda. A gente se muda. A gente muda."

    Que texto Mari. Já tinha entrado no blog pra ver se tinha algo novo, e ainda bem que entrei de novo. É inevitável não queremos mudar, as coisas simplesmente acontecem né.
    Beijo Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tu tenha gostado do texto, Cami. Ultimamente eu ando super ausente aqui no blog e não sabe o quanto me culpo por isso. Enfim, acabou saindo um textinho :) Realmente as coisas acabam acontecendo sem a gente ver, quando notamos tudo está diferente.
      Beijoss

      Excluir
  2. Essa fase de mudança e adaptação sempre foi um monstro pra mim, por mais que agora eu saiba que virei adulta as vezes é difícil encarar as coisas com tanta maturidade, mas é como você falou temos que encarar a vida, andar com nossas próprias pernas, começar, terminar e aceitar, pois faz parte da vida. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu imagino, a gente vai crescendo e não nota né? É como se crescêssemos apenas em tamanho e idade, mas o nosso interior permanecesse o mesmo. Ser adulto de verdade - digo ter realmente que se virar sozinho, como ainda não é meu caso - deve ser bem complicado mesmo, mas é preciso aprender a voar com as nossas próprias asas.
      Beijos Keylla :)

      Excluir
  3. "O que eu quero dizer, é que eu tenho me sentido diferente. Talvez seja o tempo que não me sobra mais, a saudade que eu já não sinto, o sentimento que eu já não preciso mais guardar. Talvez tenha sido aquela chuva que não parava de cair, ou o sol que agora insiste em me fazer companhia." Essa fase de mudanças é boa por um lado, nos torna mais maduros, concretos, mas também machuca, dói, corrompe tantas coisas puras. É difícil, mas necessário. Teu text ficou incrível, e boa sorte com sua apresentação ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Kelly. Muitas coisas acabam se desfazendo quando a gente muda, o que é necessário para que outras passem a fazer parte de nós. Estamos em constante mudança. Que bom que tu gostou do texto, e muito obrigada, espero que dê tudo certo <3

      Excluir
  4. Texto lindo moça, Estamos que estar dispostos a mudança, a mudar e a ver a mudança dos outros.. Bjinhos
    http://blogcontai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Lidiane! Temos sim, e é bem isso, temos que estar dispostos a ver a mudança dos outros também. Às vezes pensamos que apenas os outros mudaram, mas a gente também mudou. É uma das coisas mais reais da nossa vida.
      Beijos :)

      Excluir
  5. "A gente cresce mesmo tendo o desejo árduo de continuar a ser uma criança de pés descalços e coração intacto."
    Ameeeeeeei, parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada moça! Fico muito feliz que tenha gostado do texto.

      Excluir
  6. "A vida nos molda e a gente molda a nossa vida, e será sempre assim. Mesmo que não consigamos fazer o molde perfeito, mesmo que ele saia meio torto ou com a textura diferente do esperado. A gente se molda. A gente se muda. A gente muda."

    Sem palavras para esse texto Mari! Mais uma vez, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaa, Vitória <3 Que bom que gostou do texto :)

      Excluir
  7. "O que eu quero dizer, é que eu tenho me sentido diferente. Talvez seja o tempo que não me sobra mais, a saudade que eu já não sinto, o sentimento que eu já não preciso mais guardar. Talvez tenha sido aquela chuva que não parava de cair, ou o sol que agora insiste em me fazer companhia."
    Parece que finalmente encontrei algo que defina exatamente como estou me sentindo, obrigada por isso!
    http://www.tragediaagridoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bianca, fico muito feliz em ler isso! É muito gratificante saber que consegui descrever o que uma leitora está sentindo. Que bom que gostou, e eu que agradeço <3

      Excluir
  8. Estou num momento parecido. Na verdade acho que todos nós passamos por momentos assim todos os dias mas, como você disse, não percebemos. É uma mudança constante. Nossa roda gigante tá sempre em movimento, não é mesmo? Mas às vezes só percebemos quando chegamos no alto. E isso não é ruim. Dói? Sim. Machuca? Com certeza. Mas a gente sempre se cura. A gente muda.
    Obrigada pelo texto e espero que a apresentação do seu trabalho tenha dado certo (eu aposto que sim!) ♥
    {caosologia}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, Meiri. A gente só vê quando já passou pela mudança, a fase de transição geralmente é mais sutil. Vamos mudando e mudando, sempre. Mas acabamos precisando disso, né?
      Awn, de nada e eu que te agradeço pelo elogio! A apresentação deu certo sim, foi mais tranquila do que eu imaginei e consegui ir bem, estou muito feliz :) Obrigada ♥

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se