Slide

O problema é você

domingo, novembro 08, 2015


Parei com aquele clichê de dizer que o problema sou eu. Dessa vez, eu admito: o problema é você. Desculpa, eu juro que não queria jogar essas palavras assim, mas é que não dá mais. Eu achei que a gente tivesse solução, que aquele desânimo em responder às tuas mensagens ia passar. Acontece que não passou. Acontece que não vai passar.

É que você me faz rir, mas não me faz gargalhar. Você não é o cara que me faz esperar ansiosamente pelos finais de semana e que faz os meus dias parecerem mais curtos. Os dias ainda duram 24 horas, e eu ainda estou sã - pouco enlouqueci junto a ti. É que você não me causa arrepios, apenas me causa conforto. Teus beijos não me fazem esquecer o que acontece ao redor, apenas suprem a minha vontade de sentir o gosto dos teus lábios. 

Eu preciso de gargalhadas, eu preciso de loucura, eu preciso de arrepios. Eu quero chegar no meu extremo. Eu quero que nós sejamos tão bons juntos que eu implore para que as sextas cheguem para eu dormir na tua casa. Quero querer pedir mais, quero ansiar pelas tuas mensagens. Quero sentir o teu abraço. Quero te sentir de verdade. Porque ninguém vive sem sentir, até mesmo os mais desapegados. Eu não sei o que falta na gente, mas é isso: falta.

Eu cansei de ficar olhando aqueles filmes que você gosta só pra te agradar. Ah, e você sabia que o meu sabor preferido de pizza é frango com catupiry? Que eu tenho o sonho de viajar o mundo, e que eu tenho orgulho de escrever? Aposto que não sabia. Você não sabe de muita coisa, e nem quer saber. Não é que eu não goste de você, eu até gosto. Mas é que nós somos falta, quando na verdade deveríamos transbordar.

Não é no seu perfume que eu penso todas as noites. Você não é o cara que eu torço para que me mande uma mensagem de bom dia ou um convite para ir tomar alguma coisa. Você não é aquele que deixa um sorriso na minha cara com uma simples mensagem. Você não faz o meu coração saltar quando eu sei que está vindo na minha direção. Você não é o cara de quem eu tenho ciúmes. Você não é ele.

Naquela quarta-feira, quando eu disse que o problema era eu, você soltou uma risada e disse que não seria isso que nos faria terminar tudo. Disse que isso era desculpa e que eu não tinha argumentos. Que eu era clichê. Aceitação é complicado, né? Pois bem, agora eu vejo que o problema não sou eu, nunca foi. E eu realmente espero que você se satisfaça com essas palavras, que agora eu, falo em alto e bom som com um sorriso sarcástico: o problema é você.

Eu já tentei conversar, mudar, me adaptar. Você quis ficar mudo, permanecer no mesmo lugar e se acomodar. Você se contentou com os meus poucos sorrisos, com o nosso sexo nem tão bom assim, com o nosso beijo que não nos fazia implorar por mais. Mas você sabe, eu não sou de ficar no mesmo lugar. A culpa não é minha, eu sei que sou capaz de amar. Só não posso amar você.

Leia também

12 comentários

  1. Aquele amor que não chega ser amor não é nada né?!
    Maduro é admitir que aquilo que mesmo que faça cocegas não é o suficiente pra doer a boca.
    Lindo texto Mari, estava com saudades.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Cami. Não dá pra se contentar com qualquer coisa por simples comodidade, né?
      Obrigada <3 Eu também estava com saudades de escrever hehehe. Beijoss

      Excluir
  2. Wowwwwwwwwww, que tapa na cara sensacional esse, amei vou aderir! hahah

    irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha ai que bom que gostouu <3 Muito obrigada.

      Excluir
  3. Mas gente, que texto é esse menina? ♥ Realmente, é um verdadeiro tapa na cara, mas de forma encantadora. Metades nunca são boas escolhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada moça <3 Às vezes a gente precisa falar as coisas mais na lata, né?

      Excluir
  4. Garota, arrasou. É isso mesmo. Chega dessa de por a culpa em nós mesmo quando sabemos perfeitamente que não é. Estagnar não é para nós, não faz bem e não é saudável ao nosso psicológico. Por favor, nós queremos estar no limite, queremos a excitação de todos os dias. Mandou bem demais, Mari!!! Adoro esses teus textos cheios de atitude e sem papas na língua haha.
    Mil beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, às vezes temos mania de nos diminuirmos para não magoar o outro e acabamos saindo mais magoados. Jogar a real faz bem. E sim, queremos o limite! Por mais pessoas que nos deixem assim <3
      Muito obrigadaa, eu fico feliz que goste de textos nesse estilo hehehe.
      Beijos

      Excluir
  5. Geeeente! Vamos fazer uma OLA para esse texto. Todos levantando a mao! HAHHAHAA Muito muito muito bom. Triste se eu fosse o cara em questao. Mas eu curti muito como voce escreveu, parecia que eu que estava levando o tchau! Gosto da forma como voce se impoem nos teus textos, sem deixar de passar sensibilidade. Parabens mesmo! Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/eu-nao-tenho-mais-tempo-para-o-teu-recalque/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha eu ri, obrigadaa <3 Que bom que gostou desse texto e desse jeito vou-falar-tudo-mesmo hahaha às vezes é preciso! Apesar disso, sempre tem um sentimento envolvido no fundo.
      Beijoss

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se