Slide

Pseudoamor

terça-feira, setembro 08, 2015


Sabe, pouco me lembro da primeira vez em que te vi ou do primeiro calafrio que me causastes. Lembro que pensei que era você, entre tantos que não eram. Fui surpreendida por mim mesma ao ter este pensamento, afinal, será que era o fim dos dias com os caras errados? Será que seria amor?

Minhas amigas sabem - eu admiti pra todo mundo, moço - que nenhum homem até hoje foi capaz de me provocar os sentimentos que tu me provocou. Eu, que sempre jurei que seria a solteira do grupo, me vi desejando estar com alguém. Mais precisamente, você. Mesmo com timings diferentes e com tantos desencontros, eu queria fazer a gente se encontrar. No meio desse caos todo, eu queria.

Mas eu fui percebendo, moço, que eu esperava por mensagens que não chegariam. Eu me supria com pequenos momentos, eu vivia de coincidências. Nada de encontros combinados - tudo teria que conspirar ao nosso favor. Nada de ligações de boa noite ou de áudios seus dizendo que sentia saudade. Eu vivia de migalhas.

Eu pensava conseguir me sustentar com os grãos, com os restos que tu me deixavas. Eu pensava que era suficiente, já que era o que tu podias me dar. Acontece, meu bem, que eu mereço muito mais do que isso. Eu mereço algo melhor do que você e do que nós já fomos capaz de ser algum dia.

Que a fila anda, que o tempo cura, isso todo mundo sabe. O que às vezes a gente não sabe é lidar com o tempo que não passa, com os amores que parecem não sustentar quando a gente se sustenta com míseros amores. Eu vivia do teu pseudoamor, querido, mas percebi que não rola. Sério. Volte a falar comigo quando decidir ser um copo cheio e quando resolver me dar as duas mãos, não apenas uma. Volte quando puder me fazer perceber que toda aquela loucura que eu sentia por ti era só uma pontinha do icebergue de sentimentos que eu ainda posso sentir.

Então hoje eu posso encher o peito de orgulho pra falar que caiu a ficha. Não do nada, do tipo num piscar de olhos. Demorou? Demorou. Mas é que aos pouquinhos eu comecei a perceber que a gente tem que dar mais valor pras pessoas que estão ao nosso lado e que muitas vezes não queremos enxergar. A gente tem que dar valor pro cara que vem te perguntar se você tá bem, porque ele realmente se importa. A gente tem que dar valor pra aquela pessoa que te chama mesmo sem ter assunto, só pra botar conversa fora. A gente tem que dar valor pra quem dá valor pra gente.

É isso, moço. Parei de te idolatrar como se fosse um deus do amor, porque tu pode ser tudo, menos isso. Não espero mais mensagens tuas pois elas não me levam a lugar algum, e eu não nasci pra ficar parada. Cansei de ficar cansada de ti. Me dei conta de que tu nem é tudo aquilo que eu pensava - me desculpe pelo engano. Não te desprezo, apenas passei a sentir o oposto do amor por ti. E não, não é o ódio. É pior do que isso: é a indiferença.

Leia também

8 comentários

  1. Você escreve muito bem! Amei o texto.
    Seu blog também é lindo.
    Meu blog também é de textos, te convido a conhecer
    www.pensapequena.com
    Super beijo e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Emanuelly! Agradeço pelo comentário e também pelo elogio, seja bem-vinda <3 Vou dar uma olhadinha no teu blog. Beijos e sucesso pra ti também!

      Excluir
  2. Difícil quando embarcamos em um amor sozinho, que não é feito de dois apenas de um.
    O bom é que sempre podemos nos salvar da nossa auto sabotagem.
    Amei seu texto Mari.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, sempre tem uma saída. Basta nós mesmos encontrarmos :)
      Muito obrigada Cami ♥

      Excluir
  3. "Porque tu pode ser tudo, menos isso". caraaaaca que texto lindo. Apaixonada pelo texto *-* Parabens mesmo. Mas e' bem como voce falou, temos que pensar na gente e seguir em frente. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/procura-se-um-pa/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh que amor, obrigada <3 Temos sim, muitas vezes pensamos que não conseguimos mas depois é uma das melhores coisas que poderia acontecer. Beijos

      Excluir
  4. Mari! Que texto!
    As vezes a gente supervaloriza sensações, momentos, pessoas, que simplesmente não valem tanto esforço, tantos elogios e tanto apreço. Merecemos mais! É como diz uma das minhas citações favoritas: "Nós aceitamos o amor que achamos que merecemos." (As Vantagens de ser Invisível) A gente só precisa entender que não merecemos migalhas, que sim, podemos ter bem mais, sem medo de dar adeus ou de ficar sozinha, se a gente se contentar com o copo pela metade, nunca provaremos dele cheio. Enfim rs, tudo isso para dizer que o texto ta incrível! Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rebeca, obrigada <3
      É verdade. E o pior é que a gente demora pra perceber que o pouquinho nem era tudo aquilo que a gente pensava. Teu comentário foi meio tudo o que eu precisava ler, agradeço pelas palavras. Apesar de eu conseguir escrevê-las é difícil conseguir seguir tudo ao pé da letra, mas precisamos tentar né? A gente merece mais.
      Beijos

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se