Slide

Eu estou esquecendo

sábado, setembro 19, 2015


Foto: Brandon Woelfel


Boy, agora é do teu conhecimento que tu fazia algumas faíscas acenderem dentro de mim. Agora nada mais é segredo, não há nada nas entrelinhas. Não espero que me leia, que te leia nos textos que escrevi para ti. Acabou o mistério e toda a minha expectativa: joguei tudo pro alto. Afinal, eu não sou só mais uma na tua vida. Eu fui uma das que realmente se importava.

Falo no passado mesmo, meu bem, pois eu estou te esquecendo. É, eu juro que estou. E estou percebendo que isso me assusta de certa forma, pois há alguns dias atrás jurei que levaria meses pra superar toda essa loucura que eu andava sentindo. Nem penso mais em como tu passava a barba pela minha nuca ou nos beijos que eu antes queria repetir todas as noites de sábado se pudesse. Eu não penso mais em nada. Simples assim.

Quando me falaram que passava, eu concordei, mesmo não acreditando piamente nisso. Acontece que está passando. Não arrisco ainda a dizer que passou - algumas lembranças ficarão. Mas a saudade foi embora, assim como aquele sentimento de urgência. É, boy, parece que eu não te pertenço mais.

Nas poucas vezes que penso em ti, é apenas um lapso. Lembro que tu existe e está em algum lugar por aí, fazendo algo que já não me interessa mais. Talvez com alguém de quem eu já não sinto ciúmes, e isso soa estranho, não soa? É que depois de tantas tentativas, eu percebi que já tinha sido suficiente. E eu percebi que eu não queria ser apenas suficiente para ti. Queria ser tua tempestade, teu arco íris em um dia de chuva. Mas eu não sou. Então, por que ficar aqui?

Faltava apenas algo que me fizesse ir embora, apenas um não. No teu caso, foi o silêncio diante de tudo o que expus. Creio que foi isso que me fez ir embora, afinal - usarei de um clichê agora -, o silêncio fala mais que mil palavras. Doeu? Doeu. Mas agora parou de doer e já está até cicatrizando. Sinto-me livre novamente, como se estivesse saindo de uma prisão da qual eu deveria ter fugido há muito tempo. Agora corro, feliz, e deixo-me levar para lugar algum. Apenas deixo a brisa movimentar os meus cabelos e encher de novos ares os meus pulmões.

Não escrevo para provar algo para alguém, muito menos para mim mesma. Escrevo para constatar algo que ainda me parece estranho: esquecer. Apaixono-me rápido, desapaixono-me com a mesma velocidade. Logo eu, que guardo tantas saudades dentro do peito, estou deixando-as ir embora. Às vezes faz bem, como tem feito. Deixarei-me transbordar, esvaziar, para outrora encher o copo novamente.

Então, é fato: esqueci do teu perfume, lembro-me vagamente da tua voz. Aos poucos já não sei mais desenhar o teu rosto mentalmente e sequer lembrarei de como me sentia ao te dar a mão. Eu estou te esquecendo, moço. E isso tem soado tão bem para mim.

Leia também

12 comentários

  1. "Queria ser tua tempestade, teu arco íris em um dia de chuva. Mas eu não sou. Então, por que ficar aqui?"
    Nossa Mari, foi bem profundo isso. Me tocou! Juro que me identifiquei completamente com esse texto, inclusive o último que postei no blog fala sobre isso, algumas coisas que parecem ser eternas, mas chega uma hora que nós esquecemos. Parabéns por mais um texto. Amo ler e me identificar. Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigada! Fico feliz em saber que tu tenha se identificado com o que escrevi, foi de coração e descreve exatamente o que estou passando no momento. E todas as coisas passam, por mais que a gente pense que não vai passar. É incrível o quanto a situação muda, não? Tu ama ler e te identificar e eu amo saber que tu gostou! Hahaha. Vou agora mesmo conferir o teu texto =) Beijos.

      Excluir
  2. Que texto lindo, Mari. Às vezes o melhor é deixar ir, seguir em frente para que nos aconteça e apareça o melhor, o que merecemos. A Camila até postou uma frase linda hoje, "Se todo seu amor não é suficiente para alguém, esse alguém não é suficiente para você." e é bem assim mesmo. Não vale a pena amar alguém que faz parecer uma missão impossível nos amar. Gostei muito! Um beijoooo

    Com carinho, Beca; Café de Beira de Estrada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho <3 Sempre que estamos abertos à novas oportunidades, as coisas boas chegam. Precisamos nos permitir. Eu vi essa frase que ela postou, e estava escrevendo o texto nesse momento; serviu pra mim. Depois de tantos textos falando sobre deixar ir, eu finalmente estou - de verdade - deixando ir. E é libertador. Beijos!

      Excluir
  3. Texto maravilhoso moça ♥ Acho que é exatamente isso, devemos deixar voar, livre. Seguir em frente é a coisa mais complicada do mundo quando você quer ficar, quando quer estar perto, mas também é aquele ponto necessário a se fazer que nada nem ninguém conseguirá fazer por nós. O amor é leve, e como ouço por aí e faço das minhas palavras também, nós o complicamos. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, obrigada ♥ Sempre fico sem palavras com os teus comentários maravilhosos! Realmente é muito difícil ir embora quando não queremos fazer isso, mas depois que conseguimos, torna-se a atitude mais correta que poderíamos ter tomado. Devemos agir por nós mesmos até nos momentos que nos são mais dolorosos, pois é aí que começaremos a ser mais felizes. Deixar ir tira um peso gigante do nosso peito.

      Excluir
  4. Mari realmente esse texto tem tudo haver com aquela frase.
    E adoro gente que se apaixona fácil, que se entrega rápido e que sabe que se não deu certo o sentimento também tem quem ser expulso rápido, deixar dentro do peito só trás sangria desnecessária.
    Amei seu texto.
    "Eu estou te esquecendo, moço. E isso tem soado tão bem para mim."
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é que tem, Cami? Hoje bateu uma coincidência enorme, a Luiza do Ritmo, Amor e Poesia escreveu um texto falando sobre o mesmo assunto que eu, e tu postou aquela frase. ♥
      Realmente é muito bom se apaixonar fácil, mas a paixão também é algo muito volátil. Quando não dá certo temos que perceber que guardar aquilo pra si só irá fazer mal.
      Muito obrigada pelo elogio. Beijos

      Excluir
  5. "Queria ser tua tempestade, teu arco íris em um dia de chuva. Mas eu não sou. Então, por que ficar aqui?" Concordo plenamente, hoje em dia eu evito pessoas pela metade, pode soar um pouco compulsivo mas eu não gosto de me doar pela metade e receber metades, gosto de relacionamentos intensos e verdadeiros, sejam quais fores. Viver de metades nunca satisfez ninguém. E se ele não se dedica, não se dedique, não se desgaste.
    www.rumorandhorror.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, já escrevi um texto falando exatamente sobre isso, sobre metades. Tem gente que não consegue se entregar, e é horrível quando você se doa por inteiro e não é recíproco. Realmente viver de metades não satisfaz ninguém. Mais inteiros, por favor ♥

      Excluir
  6. Olá Mari
    Que lindo e triste. Já passei por situações onde tive que esquecer. Onde esquecer não era uma escolha, era a unica solução. A gente se sente meio perdido no início. Não sabe como preencher as lacunas deixadas por um outro alguém, mas tudo se ajeita.
    Um beijo enorme

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lary!
      Muito obrigada, fico feliz que tu tenha gostado dele, apesar de ser um pouco melancólico. É exatamente como tu falou, não sabemos como preencher as lacunas no início. Aos pouquinhos, vamos juntando os nossos pedacinhos e aprendendo a lidar, né? Passamos por diversas situações como essa ao longo da nossa vida, e cada vez é um desafio.
      Beijos <3

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se