Slide

Solteira sim, e feliz também

quinta-feira, junho 11, 2015


Agora com o dia dos namorados chegando, aparecem aquelas matérias: "O que fazer para não se sentir sozinha no dia dos namorados", "Ideias pra quem vai passar o dia dos namorados sem um par", e dezenas de coisas do gênero não-se-sinta-inferior-por-estar-solteiro. Mas e quando estar solteiro se tornou sinônimo de estar infeliz?

Esses dias numa festa vi uma moça gritando às amigas: "solteira sim, sozinha nunca!" enquanto levantava o copo e comemorava como se tivesse que honrar alguma coisa. Todo esse teatro armado quando, na verdade, ela não quer que as amigas descubram que ela até já se esqueceu do gosto do último beijo, e que nem o cara menos pior dos pretendentes andou mandando convite pra sair. Mas é claro; ela não pode estar sozinha. Ninguém pode. Seria tão infeliz, não é? Não, não seria.

30 anos, solteira. E ela recebe aquele olhar de pena do tipo "mas por que você ainda não arrumou alguém?" das suas amigas nem tão bem acompanhadas assim, mas acompanhadas. E aí ela inventa uma desculpa qualquer, porque ninguém aceita que ela está feliz solteira. É tipo responder "porque sim": todo mundo lança aquele olhar insatisfeito como se você tivesse dito a coisa mais absurda do mundo. Desculpa, mas eu sou da conhecida teoria: melhor sozinha do que mal acompanhada. E o melhor encontro é comigo mesma: nunca dei bolo nem me deixei esperando. Sério. Nunca me decepciono.

Absurdo é achar que a felicidade se encontra em outra pessoa. Achar que enquanto você não tiver a sua metade da laranja, o seu par perfeito ou a sua alma gêmea, a busca continua pelo tão esperado dia em que você finalmente vai poder ser feliz. A felicidade mesmo está aqui dentro, dentro de cada um de nós. Solteira por falta de oportunidade? Talvez, ainda não encontrei alguém com quem eu realmente queira ficar. E solteira por opção? Também. Por que não?

Esses dias me peguei pensando que o primeiro dia dos namorados que posso passar namorando vai ser - no mínimo - com 19 anos. Tô aqui com 18, solteira, e pasme, feliz. Se é tão surpreendente assim, está na hora de rever os seus conceitos. Incompleto é aquele que passa a vida na procura por sua completude, quando não sabe que ela está em si mesmo. Porque sinceramente, se é pra ter um relacionamento baseado em ter curtidas no Facebook e ficar exibindo uma felicidade inventada por aí, eu fico com a minha solteirice.

Posso ir ao shopping sozinha fazer compras sem um namorado e ainda assim achar o que eu gosto sem precisar de outra opinião. Posso assistir a um filme sozinha no domingo de tarde, e ainda assim dar risada enquanto como meu chocolate. E eu também posso muito bem estar solteira e não estar sozinha. Ou estar sozinha também. Isso importa?

A completude começa quando a gente vê que não depende de ninguém. De que adianta querer arrastar alguém pra sua bagunça se você não consegue organizar a si mesmo? Crie a sua felicidade. Seja a sua felicidade.  E aquele recado final pra quem acha que infelizes são aqueles que vão passar sozinhos o dia dos namorados: os outros 364 dias do ano são nossos. E a gente vai solteiro e muito feliz sim, obrigada.

Leia também

4 comentários

  1. Menina que texto me deixo de boca aberta, simplesmente adorei e necessito aplaudir você e continue escrevendo.

    isadorambelinassi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Isa, muito obrigada! Não sabe o quão feliz me deixa ler um comentário como o teu :)

      Excluir
  2. Que texto maravilhoso! Simplesmente amei, tem mais o que falar? "Incompleto é aquele que passa a vida na procura por sua completude, quando não sabe que ela está em si mesmo.": essa foi uma das minhas partes favoritas, nunca vou me esquecer haha!

    Dois Jeitos de Ser

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada pelo carinho Vitória, fico feliz que gostou <3

      Excluir

Postagens Populares

Inscreva-se