Slide

O que eu aprendi com os meus 18 anos

sábado, junho 20, 2015


Nossa vida é feita de fases, e em cada uma delas aprendemos um pouquinho mais sobre a infinitude de coisas que faz parte dos nosso tempo por aqui. Quando temos 12 anos, achamos que já somos os donos do mundo, mas a cada ano que passa vamos percebendo que ainda mudamos demais os nossos pensamentos e ideias.

Sei que com 18 anos ainda tenho muita coisa pra ver e aprender. Ainda tenho muitas experiências pra viver, tapas na cara pra tomar, sorrisos pra esboçar e lágrimas pra derramar. Ainda tenho muita gente pra conhecer e muitos objetivos pra atingir. Mas mesmo assim, venho percebendo o quanto aprendi no último ano. Diversos pensamentos que antes nem cruzavam a minha mente ultimamente têm tomado bastante o meu tempo, e muitas ideias têm me intrigado. Mas entre algumas coisas essenciais que vou levar pra vida toda, posso citar as seguintes.

Percebi que a gente não deve esperar nada de ninguém. Aqueles amigos de infância que juramos que vão permanecer com a gente, acabam sumindo. Alguns mandam uma mensagem e dizem que vão combinar alguma coisa, que sentem falta. Mas se sentem falta, por que não vão atrás e fazem acontecer? São poucos os que realmente vão ficar depois do colégio, depois da faculdade. Muitas amizades se formam apenas porque formamos grupinhos na escola, mas é só isso. Colegas de aula. E eu sei muito bem com quem eu posso contar ou não. Já me decepcionei com muitas pessoas e agora já aceitei que nem todo mundo que chamo de amigo, é meu amigo. É triste mas é verdade: não dá pra esperar coisas boas de todo mundo. As pessoas são egoístas - nem sempre fazem por querer - mas muitas vezes a consideração que você tem por alguém é maior do que a que esse alguém tem por você. E a real é que é preferível ter poucos amigos de verdade ao seu lado do que vários amigos falsos, sendo que nenhum seria capaz de correr ao menos 5 quadras por você.

Aprendi que a sociedade é cruel. Tem muita gente por aí que gosta de julgar os outros. Julgam se a pessoa está gorda, se está magra, se tem uma perna torta ou se fala enrolado. Eu detesto aquele tipo de pessoa que só fica procurando defeito nas outras. Pra mim essa é a maior prova de que a pessoa não gosta de si mesma e precisa achar coisas ruins nos outros só pra melhorar a sua auto-estima, e isso é péssimo. Tente gostar de si mesmo primeiro, e aí você irá parar de julgar os outros. Muitas vezes ignoro quando começam a falar mal de alguém pra mim, ou solto uma risadinha pra não falar nada. Todo mundo tem defeitos, mas guarde isso pra você, e deixe cada um ser do jeito que é. Precisamos de uma sociedade com mais amor e menos julgamentos, por favor.

Comecei a acreditar que os sonhos são possíveis. Vi várias pessoas por aí atingindo metas que pareceriam inacessíveis em qualquer situação. Mas ter foco, ir atrás e lutar pelos seus objetivos com certeza trará retornos. É melhor ir atrás e quebrar a cara do que nunca ir atrás e sentir frustrado por isso. Vivo com a cabeça nas nuvens, e por mais que isso soe narcisista, acredito no meu potencial. Se eu não acreditar em mim primeiro, quem vai acreditar?

Aprendi que não devemos ligar para o que os outros pensam. É claro, muitas vezes bate aquela insegurança quando queremos fazer alguma coisa, isso é absolutamente normal. O que quero dizer é que não devemos deixar de fazer as coisas por medo. Sente medo, vergonha? Vai com medo mesmo. Com vergonha. Nunca vai ser possível agradar todo mundo e isso é fato. Sempre vai ter alguém pra te julgar, mas também sempre vai ter alguém pra te dar apoio. E o primeiro apoio a você mesmo deve ser seu. Vá atrás do que você quer e seja feliz.

Aprendi a ser mais amiga dos meus pais. Com 11 anos nossos pais são nossos maiores inimigos: parece que não nos deixam fazer nada e que querem que tudo dê errado pra nós. Mas só parece, juro. Depois a gente vê que eles só querem o nosso bem e que são os nossos melhores amigos. Eles sempre sabem o que é certo, por mais que não seja o que a gente queira, mas eles são os que estarão lá pra nos ajudar depois.

Aprendi que devemos dar valor aos pequenos prazeres. Ver seriado, sentir o cheiro de um livro novo, ver o sol se pôr, comer pipoca com chocolate, assistir um filme no cinema com a minha melhor amiga, receber um comentário novo aqui no blog, ouvir um elogio de alguém que não conheço direito, ver a minha cachorrinha feliz, ouvir minha música preferida enquanto ando de carro, dançar sozinha na frente do espelho, escrever um texto novo, comprar um pacote de salgadinhos que não comia há um tempão, colocar os pés na areia, estourar plástico bolha, o barulho do mar... são tantas coisas pequenas que fazem a diferença no nosso dia e que muitas vezes não percebemos, mas que são - como eu já disse uma vez - pedacinhos de felicidade que devem ser mais valorizados. ♥

E por último, o mais clichê de tudo, mas a maior verdade também: percebi que o tempo passa muito rápido e que devemos aproveitar o máximo possível e não deixar tudo pra depois. Parece que ainda ontem eu tinha 10 anos, e ao mesmo tempo parece que faz muito tempo. Acho que aproveitei bem esses anos, mas ainda tem muita coisa que quero fazer, e já estou trabalhando nisso. Não quero um dia estar mais velha e perceber que não realizei nenhum dos meus sonhos, ou deixar pra depois o que posso fazer agora. Então aproveite cada minutinho fazendo tudo o que você gosta. Podem ser coisas pequenas, como comer um chocolate ou passear em um parque. Ou podem ser coisas maiores, como lançar um livro ou viajar o mundo. O importante é dar valor ao presente. O tempo não para, e a vida não espera.

Leia também

8 comentários

  1. Oláaa, você aprendeu bastante coisa com pouca idade porque infelizmente a sociedade está mais cruel hoje, que quando eu fiz 18 anos. Hoje com 32 anos, eu aprendi que na verdade poucos serão nossos amigos, talvez nenhum ou no máx 1 que te ajude com dinheiro, 2 que te ajude emocionalmente. E só nossos pais e dependendo do marido estarão ao nosso lado por tudo isso! infelizmente, prefiro fazer uma sociabilidade boa e não esperar mais nada de ninguém, porque o que vier é lucro, né?? Amizades pra conversar, compartilhar isso sempre teremos, mas ajuda fiel são raros! beijooooooos e parabéns porque 18 anos é otimo! www.helenpinkblog.blogpspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, ainda mais hoje com tanta mídia (redes sociais, internet), a sociedade acaba vendo muito mais e sabendo muito mais sobre os outros, e acabam criticando muito mais também. Sobre sociabilidade, isso é verdade. Também não podemos ficar sem falar com ninguém por causa disso né? Mas realmente é muito difícil, amigos de verdade contamos em uma mão só. Muito obrigadaa <3 Com certeza é uma das melhores fases da vida. Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei seu post, fiz 18 esse ano também e me sinto basicamente na mesma situação. Muito bem elaborado, e confesso que me emocionei no parágrafo: "Aprendi que devemos dar valor aos pequenos prazeres." realmente devemos fazer mais isso, são coisas que nos prova que estamos vivos e é muito bom sentir isso.

    Adoro teu blog, e visito sempre que possível.. Beijinho Mari :* | http://um1diariogeek.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai muito obrigada Fernanda, me deixa muito feliz ver comentários como o teu!! Acho que essa idade que estamos é a idade em que começamos a entender várias coisas,e é super legal olhar pra trás e ver o quanto tudo muda né? Verdade, é o que prova que estamos vivos,e muitas vezes não nos ligamos nas coisas pequenas. Um grande beijo!

      Excluir
  4. Lindas palavras, adorei o ponto de vista e a reflexão...realmente o tempo passa rápido, temos que aproveitar todas as nossas oportunidades ter alegria e gratidão pelas pequenas coisas. Aproveite essa fase. Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Carol <3 Sim, temos mesmo porque o tempo não volta! Vou aproveitar sim :) Beijoss!

    ResponderExcluir
  6. São ótimas coisas para se aprender aos dezoito, e a cada ano a gente só vai acrescentando coisas na lista né?

    ResponderExcluir

Postagens Populares

Inscreva-se