Slide

Ensaio

quarta-feira, abril 15, 2015


Pra ler ao som de: Ed Sheeran- Photograph




E se a gente voltasse pra aquela noite de sábado, em que pensamentos não passaram de olhares que eu pouco pude traduzir? Eu do lado de cá da rua, tu do lado de lá. E assim a gente não foi o que seríamos se atravessássemos a rua. Se meu celular tivesse tocado 10 minutos depois, e se a gente tivesse parado quando cruzamos um pelo outro. A gente não parou, o tempo não parou. A gente muito se olha e pouco se entende. Dos dizeres que eu quis que saíssem por entre teus lábios, nenhum pude ouvir.

Neste momento eu estaria talvez encostada no teu peito, compartilhando os fones e ouvindo uma melodia calma que fala tanto sobre nós. Estaria te pedindo pra tocar A Lonely September no violão, porque ah, como eu queria isso. Nossos olhos estariam sorrindo um pro outro, porque naquela noite, a gente percebeu que éramos mais do que sorrisos. Éramos mais do que olhares.

E se a gente voltasse pra aquela mesa de bar, quando a maior preocupação eram nossos pés cansados depois de mais uma noite à procura do que a gente nem queria? Aquela noite em que ao nosso lado - apenas separado por uma mesa - estava justamente o que nem sabíamos que precisávamos? E querido, se eu sei disso agora, é porque eu vi que tua mão não deveria estar segurando aquela garrafinha d'água. Deveria estar segurando a minha mão.

Provavelmente agora eu estaria respondendo tuas mensagens com um sorriso bobo no rosto por saber que é recíproco. Estaria te mandando músicas que traduzem o que eu sinto, e estaria esperando o próximo fim de semana pra te dar um dos nossos tantos abraços. Percorreria teu corpo com meu olhar mais apaixonado, porque a gente vive de amores. Tiraria algumas fotos, pra nossa paz ficar marcada. Escreveria uma história, pois adoro nossos momentos inventados e adoraria mais ainda poder dizer que eles foram nossa realidade. Estaria declarando-me mais do que posso hoje.

E se a gente fizesse diferente,será que seria diferente? Se eu não tivesse entrado por aquela porta aquele dia, estaria escrevendo-te esse texto?

A gente espera tanto, se cobra e cobra tanto da vida. Esse é o momento em que crio uma imagem de tu lendo este texto e sorrindo - sem se assustar- sabendo que eu o escrevi pra ti. Que crio uma imagem de tu vindo até mim no nosso próximo encontro, arriscando contar-me que sabe que é pra ti. E eu vou dizer que sim, ele é pra ti, e vou pedir pra que a gente não fique com medo, porque eu me assusto fácil. Assusta-me pensar em viver esse momento.

E do nosso pouco tempo, sobrou tanto sentimento. Da nossa calmaria, sobrou tanta bagunça. Dos nossos muitos abraços inventados, sobrou igualmente saudade.

Dos meus sonhos menos improváveis, apareceu-me logo tu...

Leia também

0 comentários

Postagens Populares

Inscreva-se